segunda-feira, 18 de maio de 2009

Passeio em Milão

"Com Lance Armstrong ao seu lado, o camisola rosa, Danilo di Luca, liderou um protesto do pelotão nas ruas de Milão, quando este tinha percorrido quatro das dez voltas ao circuito na cidade, que acolheu a 9ª etapa. «Vimos na 1ª volta que o percurso não era seguro. Havia carros parados no meio da estrada, plataformas e linhas de eléctrico. Pedimos aos organizadores para anular os tempos e ficámos felizes por eles teram feito isso», referiu o italiano de 33 anos.
Os tempos foram então anulados em termos de classificação geral ( ... ) Tudo isto surgiu um dia após a grave queda do espanhol Pedro Horrillo. O ciclista da Rabobank já saiu do coma induzido, pese embora o seu estado clínico continuar crítico.

DESACORDO. Houve quem discordasse dos protestos do pelotão e apontasse o dedo à influência de Lance Armstrong, que desde o 1º dia tem vindo a criticar as partes finais das etapas. «Milão não merecia este tratamento. Não compreendo e não partilho a decisão dos ciclistas. Quando se anda de bicicleta, correm-se riscos e quem conhece este trabalho sabe disso», disse o antigo rei dos sprinters, Mario Cipollini."

Hoje o pelotão cumpriu o 1º dia de descanso.

Artigo retirado do jornal desportivo "Record"

Sem comentários: